ZTE: terá que mudar o nome para retomar as vendas de smartphones nos EUA

zte eua

Continua a trazer arrasto o caso ZTE - EUA. Embora a gigante chinesa tenha sido autorizada a retornar à capacidade total no mercado norte-americano, ela só poderá fazê-lo sob algumas obrigações mais ou menos rigorosas. Entre as ações requeridas, haverá a re-branding: ZTE ele terá que deixar sua marca.

ZTE retoma negócios nos Estados Unidos, mas a um preço alto

Além das penalidades muito altas impostas à empresa, ZTE também terá que cumprir alguns ditames, incluindo a mudança de gestão e, por último, a divisão da marca. Em particular, a empresa é solicitada a separar o ramo da indústria ligados à produção de smartphones, a partir da infra-estrutura de rede. As autoridades americanas justificam esta escolha por razões de segurança: enquanto as infraestruturas de rede são seguras, os dispositivos que usam a tecnologia americana terão que ser mantidos sob controle.

Imposições que, mesmo que rigorosas, serão respeitadas por ZTE que no mercado americano vê uma de suas maiores fontes de renda. Além disso, também foram solicitadas mudanças estruturais na empresa, a saber, uma nova equipe de gerenciamento para a seção móvel, com sede fora China.

Leia também: Xiaomi programa para entrar no mercado dos EUA dentro do 2019

No atual estado de coisas, os analistas de mercado afirmam que Os adversários dos fabricantes OEM colherão enormes benefícios da situação. Primeiro de tudo os rivais coreanos, Samsung acima de tudo, e as mesmas empresas chinesas não são acusadas de nada parecido Lenovo e Xiaomi (que, além disso, poderia em breve fazer sua estréia no mercado de estrelas e listras). Net da situação para dizer o menos complexo, as próprias empresas americanas podem esperar repercussões (como já aconteceu) pelo governo chinês que, de alguma forma, vai responder aos EUA.


Não perca nenhuma novidade, oferta ou resenha publicada em nosso site! Siga-nos nas redes sociais para se manter atualizado em tempo real graças a:

Canal de Ofertas , Canal de notícias, Grupo de telegramas, página no Facebook, Canal do youtube e Fórum.