100 MP? Pff, 192 smartphones MP estão chegando!

sensor da câmera

Por algum tempo, a atenção de fabricantes e usuários em termos de smartphones mudou para a qualidade de câmeras. Os telefones são cada vez mais poderosos e com telas cada vez mais amplas. Portanto, existem dois setores de hardware nos quais se mover de maneira mais concreta: autonomia e câmeras. Do primeiro ponto de vista, ainda existem fortes limites, não tanto nas tecnologias de carregamento quanto nas próprias baterias. O discurso das câmeras é muito diferente, com várias novidades e melhorias quase que mensalmente, principalmente da China. Fabricantes como Xiaomi, OPPO, Vivo e Huawei estão na primeira fila para oferecer terminais o mais avançado possível.

LEIA TAMBÉM:
CEO da Huawei reclama: "Câmeras e folhetos custam muito"

Um novo sensor de 192 MP está prestes a estrear em um smartphone

Depois de anos com apenas sensores de 12 ou 16 MP, entre 2018 e 2019, passou para 48 e 64 MP. Mas a corrida para megapixels não é um fim em si, como poderia ter acontecido há muito tempo, graças à tecnologia da Pixel Binning. Tendo que confiar em sensores muito pequenos por razões dimensionais óbvias, essa técnica combina o sinal capturado pelos vários pixels em um. Dessa forma, é simulado um maior, capaz de obter mais luz e obter melhores resultados do que o habitual.

Por esse motivo, entre 2019 e 2020, o registro atual foi prontamente passado, ou seja, os 108 MP introduzidos pela Xiaomi e pela Samsung. Mas a corrida pela evolução não quer mencionar parar, como os esforços feitos para demonstrar desenvolver novos sensores de 150 MP. Poderia terminar aqui? Claro que não.

192 mp sensor

O vazador Digital Chat Station diz: a partir de maio, começaremos a falar sobre Sensores de 192 MP. O post associa essa novidade ao uso do Snapdragon 765, o chipset visto pela primeira vez em telefones como Redmi K30, Realme X50, OPPO Reno 3 Pro, Xiaomi Mi 10 Lite e Vivo Z6. Não é de surpreender: o Qualcomm SoC é capaz de suportar sensores próprios deste tamanho.

⭐️ Siga e apoie GizChina su Google News: clique na estrela para nos inserir nos favoritosi .