A Xiaomi censura em nome da China? Aí vem a resposta da marca

censura xiaomi

Lembra-se no Outono passado, quando a Lituânia acusou várias empresas chinesas, Entre os quais Xiaomi, façam censura em nome da China? Uma acusação que gerou muita discussão, em um contexto histórico em que o Ocidente olha cada vez com mais desconfiança para as realidades ao estilo chinês. Isso pode ser visto com a proibição dos EUA contra a Huawei, o exemplo mais marcante de como no Ocidente há uma certa desconfiança de empresas aparentemente ligadas ao partido chinês. E talvez não seja coincidência que a Lituânia, nação aliada dos Estados Unidos e que tende a apoiar suas visões geopolíticas, esteja fazendo essas acusações contra a Xiaomi.

A acusação contra alguns dos principais fabricantes chineses de smartphones é bastante séria. O que mais fez notícia é, sem dúvida, o suposto comportamento de censura, completo com uma "lista negra" contendo palavras indesejáveis e, portanto, ser removido. Mas não para por aí: a Lituânia também falou sobre rastrear o comportamento do usuário, fazer login em servidores asiáticos sem o seu conhecimento e enviar informações confidenciais para a China.

Chegam novos testemunhos contra as acusações de censura dirigidas à Xiaomi

Todas as acusações, censuras e outras, que tenham sido prontamente desmontado, tanto de nós quanto de várias outras realidades que decidiram investigar mais a fundo a situação criada em torno da Xiaomi. Então, por que voltamos a falar sobre isso? Porque depois da nossa análise aprofundada e de outros jornais, as autoridades alemãs também decidiram fazer o mesmo. Certamente um ponto de vista interessante, pois vem de uma parte do mundo ocidental e não exatamente de acordo com os autoritarismos asiáticos. Para ser exato, é o BSI (Bundesamt für Sicherheit in der Informationstechnik), que é a agência governamental de segurança cibernética na Alemanha.

Depois de realizar sua própria investigação sobre o assunto, o BSI disse que não ter encontrado nenhum tipo de censura nos smartphones Xiaomi. Como afirmou um porta-voz da Reuters, a agência estatal alemã vem realizando essas investigações há meses, sem encontrar nada. "Como resultado, o BSI não conseguiu identificar quaisquer anomalias que exigissem investigação adicional ou outras medidas“, concluiu então.

Xiaomi divulga comunicado de imprensa sobre o caso

Para respaldar o que foi declarado pelo BSI, Xiaomi queria divulgar uma declaração oficial confirmando o que foi encontrado: "A Xiaomi tem o prazer de anunciar que os resultados da investigação conduzida pelo Escritório Federal Alemão de Segurança da Informação (BSI), publicada ontem, confirmam nosso compromisso de operar de maneira transparente, responsável e prioritária em relação à privacidade e segurança de nossos clientes. É uma demonstração de que cumprimos todas as leis europeias e nacionais sobre privacidade e segurança de dados, bem como todas as normas europeias aplicáveis ​​para dispositivos. Agradecemos o intercâmbio com usuários, reguladores e outras partes interessadas, como o BSI, pois estamos constantemente nos esforçando para melhorar e inovar".

⭐️ Descubra o novo folheto semanal da GizChina com ofertas exclusivas e cupons sempre diferentes.
Honrar